Aprendiz Cooperativo para Pessoas com Deficiência forma turma no AM

O Sistema OCB/AM, juntamente com a cooperativa Unimed Manaus, acaba de formar 35 aprendizes no evento realizado na sexta-feira, dia 3/6, em Manaus (AM), onde foram entregues as Declarações de Conclusão de Curso para os formandos. O evento começou com a fala do diretor do Sistema OCB/AM, José Merched Chaar.

Ele agradeceu aos formandos e parceiros e destacou a importância do programa para formação dos aprendizes com deficiência para o mercado de trabalho. Logo depois, o analista de Promoção Social da unidade nacional do Sescoop, Guilherme José Cabral Gonçalves, discorreu sobre a importância do programa e sobre o fato de o Sescoop se preocupar não apenas com o cumprimento da cota pelas cooperativas, mas também com a qualidade do programa.

As jovens Maria Bernadete e Euzanira Vieira Bezerra emocionaram o público composto por pais, familiares, amigos e parceiros do programa Aprendiz Cooperativo ao agradecerem e falarem sobre a importância da iniciativa do Sescoop para a vida de todos os formandos. Por fim, os estudantes apresentaram a canção Paz, em libras, o que encantou a plateia.

O evento também contou com a participação de Adalmiran Barroso, representante da Associação de Capacitação, Emprego e Renda para Pessoas com Deficiência no Estado do Amazonas (ACERPAM), parceira responsável pela orientação dos aprendizes, de acordo com as suas necessidades particulares. Lúcia Silva, representante da cooperativa contratante, Unimed Manaus, também prestigiou o evento.

SAIBA MAIS – Criado para qualificar jovens com idade entre 14 e 24 anos e assegurar sua permanência no mercado de trabalho cooperativista, o programa contribui para uma política de responsabilidade social e valorização do potencial da juventude. No ano 2000, a Lei nº 10.097 (conhecida como “Lei do Aprendiz”) determinou que estabelecimentos de qualquer natureza e com mais de sete empregados – incluindo as cooperativas – empregassem e matriculassem aprendizes nos cursos dos Serviços Nacionais de Aprendizagem. Foi nesse momento que o Sescoop vislumbrou a oportunidade de preparar jovens para atuar especificamente em cooperativas, de forma consistente e diferenciada. Importante ressaltar que, conforme a legislação, para o programa Aprendiz Cooperativo para Pessoas com deficiência não existe limite de idade.

NÚMEROS – Segundo dados do Sescoop, desde o lançamento do programa até hoje houve um acréscimo de 107% no número de estados que executam o programa; e o número de aprendizes atendidos cresceu na seguinte escala: em 2010, 2.162 jovens foram qualificados. Já em 2015, este número aumentou 294%, totalizando 6.305 beneficiados.

Para a Gerente de Desenvolvimento Social das Cooperativas, Geâne Ferreira, esses são números que reforçam a preocupação do Sistema OCB com a aplicação das políticas de responsabilidade social e qualificação de jovens. “Contudo, ainda temos muitos desafios para ampliar, o atendimento às demandas das cooperativas, reter esse jovem na cooperativa, após o término de contrato como Aprendiz e, é meta nossa e das organizações estaduais trabalhar para uma qualificação significativa”, argumenta a gerente.

REALIDADE BRASILEIRA – A coordenadora do programa Aprendiz Cooperativo, no âmbito nacional do Sescoop, Edlane Melo, informa que, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 18% da população brasileira está na faixa etária entre 15 a 24 anos de idade que abrange o público-alvo do programa aprendiz cooperativo. A pesquisa identificou também que dentre esses jovens 13,6% trabalham e estudam; 19,6% não trabalham nem estudam; 21,6% somente estudam e 45,2% somente trabalham. Dados como esses embasam os modelos de formação dos profissionais identificando o perfil do aluno e sua futura situação de trabalho.

Fonte: OCB/SESCOOP NACIONAL

WhatsApp-Image-20160607 (2)