• Home
  • Destaques - Notícias
  • Ciclo de Palestras com “Temas Transversais” movimentaram Programa Aprendiz Cooperativo do Sescoop/AM

Ciclo de Palestras com “Temas Transversais” movimentaram Programa Aprendiz Cooperativo do Sescoop/AM

Segunda, 20 de Dezembro de 2016 –  11:00 a.m.

WhatsApp Image 2016-12-15 at 12.49.12

Nessa última semana, muitas palestras movimentaram o Programa Aprendiz Cooperativo, do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – Sescoop/AM. Muitas palestras com “temas transversais” fecharam o último módulo do Programa, sendo o mesmo: “Formação Humana e Científica“. Os temas apresentados foram: “Álcool e Drogas”, “Políticas Públicas” e “Segurança no Trabalho”.

O projeto Caravana da Cidadania nas Escolas e Comunidade, trouxe a palestra com o tema: “Álcool e Drogas”, e a coordenadora do Projeto, Priscila Costa, uma das responsáveis pelo projeto, relata o que o mesmo vem trazendo de bom à vida dos estudantes.

“O Projeto Caravana da Cidadania nas Escolas e Comunidades tem como finalidade proporcionar integração entre a polícia e a comunidade por meio de ações psicoeducativas, voltadas para a prevenção da violência e a criminalidade. As atividades que são desenvolvidas pelo projeto criam as condições de apoio, para que as escolas da rede pública estadual e municipal e a comunidade em geral, possam discutir e desenvolver atividades que possibilitem a redução do uso das drogas no âmbito escolar e comunitário. Durate o projeto, nós desenvolvemos as ações psicoeducativas através do ciclo de palestras, que é a primeira fase do projeto. Da fase social, são encontros e oficinas sobre temas variados no âmbito da escola e da comunidade, com o apoio tanto da sociedade civil organizada, como também dos parceiros, da administração direta e indireta e das entidades governamentais e não-governamentais. A 2ª fase do projeto social, nós realizamos as ações esportivas e de lazer no âmbito escolar e comunitário. É importante esse tipo de projeto no âmbito escolar, porque ele consegue inserir tanto a polícia, os pais, professores, gestores, formando um grande grupo integrado, que possa promover uma melhor convivência e um ambiente melhor, não só no âmbito escolar, como também no da comunidade e da família”, conforme explica a investigadora Priscila.

Para Ramon Lopes, aluno do Programa Aprendiz Cooperativo: “A palestra foi ótima, didática e expositiva, foi possível aprender muito sobre os efeitos colaterais do uso de droga, além de ter sido ótimo pra conscientização, afinal, conhecer é a melhor forma de evitar. Além do mais os exemplos citados foram muito impactantes, o suficiente para manter-nos bem distante das droga”, frisa Ramon.

Um dos convidados do Ciclo de Palestras foi Juan Souza de Brito, Técnico em Segurança do Trabalho, e afirmou que “Falar de segurança do trabalho não é uma tarefa muito fácil, pois existem várias variáveis, possibilidades e muitas das vezes, torna-se complexa de ser entendida. Em pleno século XXI também ocorrem os acidentes de trabalho, e este é um dos maiores indicadores em processos judiciais contra empresas, muitas delas sempre relacionadas a Segurança do Trabalho, por falta de investimento. Não tenho o que reclamar da turma, a palestra foi ótima, ocorreu tudo bem, e sem nenhum acidente. Espero que eu possa ter atingido o objetivo proposto pela Heline, analista do Sescoop/AM, pelos jovens que estavam presente na palestra, e espero que tenham gostado! Agradeço à oportunidade cedida pela SESCOOP/AM e quem sabe, em uma próxima oportunidade, eu retorne a casa”, ressalta Juan.

Fechando o ciclo de palestras do Programa Aprendiz Cooperativo do Sescoop/AM, a mestra em Ensino de Ciências, Rosemi Araújo, foi uma das convidadas a ministrar a palestra sobre “Políticas Públicas” e enfatizou que: “As Políticas Públicas para a Juventude, devem refletir principalmente no desejo de atender a necessidade dos jovens, no diz respeito às questões de trabalho e estudo. É preciso possibilitar que o jovem seja protagonista da sua própria história e focar na aprendizagem e como ele aprende. Pois a partir dessa tomada de consciência do jovem de que ele mesmo precisa ser o construtor, o protagonista da sua aprendizagem, vai possibilitar à ele reflexões acerca da sua própria vida no presente e de conquistas para o futuro. Então, o nosso pensamento em relação ao protagonismo juvenil nas Políticas Públicas se volta principalmente para a questão de sua participação ativa, de sua colaboração ativa, nas atividades que participa tanto de cunho acadêmico quanto de cunho profissional, para que ele possa se desenvolver plenamente e se tornar um jovem consciente daquilo que fez e consciente do seu compromisso com a próxima geração juvenil”, destaca Rosemi.

Fonte e Foto: Assessoria de Comunicação – Sistema OCB/Sescoop/AM