• Home
  • Destaques
  • Prefeito de Manaus acata proposta de Bi Garcia para auxiliar catadores de recicláveis

Prefeito de Manaus acata proposta de Bi Garcia para auxiliar catadores de recicláveis

O deputado estadual By Garcia levou a demanda dos catadores ao prefeito

O deputado estadual Bi Garcia levou a demanda dos catadores ao prefeito Artur Neto

O deputado estadual Bi Garcia (PSDB) declarou na manhã desta terça-feira 14 de julho, durante pronunciamento na tribuna do plenário na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, acatou a proposta apresentada pelo parlamentar em  auxiliar os catadores de materiais recicláveis da capital amazonense.

O deputado, em uma reunião realizada na noite de segunda-feira (13), apresentou ao chefe do executivo municipal a mesma proposta que utilizava quando era prefeito de Parintins. “Ontem à noite eu tive uma reunião com o prefeito e sugeri a ele que auxiliasse os catadores de materiais recicláveis. A proposta apresentada foi que ele ajudasse por três meses com cestas básicas para contornar essa crise econômica que atinge o país, e que também está atingindo a categoria. Fiz isso quando prefeito de Parintins apoiando estes trabalhadores principalmente no inverno, período difícil para eles realizarem o serviço”, disse.

A orientação do parlamentar veio após um encontro com os catadores e a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop-AM), comandada pelo presidente Luiz Castro, onde a categoria informou que também está sendo atingida pela crise e atualmente não consegue vender 25% do material recolhido.

Conforme Bi Garcia, o prefeito vai marcar um novo encontro para assinar o termo de cooperação de auxilio aos catadores.

O presidente do Sistema OCB/Sescoop-AM, Petrucio Magalhães Júnior destacou a sensibilidade do Prefeito de Manaus Artur Neto e a atuação dos deputados membros da Frente Parlamentar do Cooperativismo Estadual (Frencoop-AM) que encaminharam uma demanda justa dos catadores de resíduo sólido num momento de muitas dificuldades para as indústrias de papel e papelão que compram das cooperativas.

Texto: Assessoria da Aleam