COOPEMA inicia construção de agroindústria em Manicoré

 

 

Pedra Fundamental Coopema

 

A Cooperativa dos Produtores Agropecuários e Extrativistas de Manicoré iniciou no começo de setembro, a construção e implantação de uma Unidade de beneficiamento de polpa de frutas.

O empreendimento tem como principal objetivo promover o incremento na renda das famílias associadas, através do processamento de frutas como açaí, cupuaçu, maracujá, cacau, buriti, taperebá(cajá), laranja, limão, melancia e outras. Os recursos para a construção da agroindústria foram acessados junto à Fundação Banco do Brasil, através da celebração de um convênio que concedeu R$ 1,35 milhões para a cooperativa, originários do BNDES e não-reembolsáveis. A COOPEMA entrou com uma contrapartida de R$ 207 mil. Além disso a cooperativa ainda entrou com o terreno e parte da construção civil complementar, ultrapassando R$ 2 milhões de investimento.

No evento de lançamento da pedra fundamental do empreendimento, realizado no dia 25 de setembro, estiveram presentes o Secretário De Produção Rural, Sidnei Leite, além do presidente do IDAM, Edimar Vizzoli, o presidente da FECOOP Norte e Conselheiro da OCB/AM, José Merched Chaar, e demais autoridades estaduais e municipais. A indústria contará com equipamentos modernos de higienização, classificação, esterilização, processamento e embalagem de polpas, com área de expedição e estocagem e a produção será destinada para o mercado regional e nacional, e para os programas de Compras Governamentais do Governo Federal e Estadual, para os quais a COOPEMA já é um dos principais fornecedores, principalmente de banana, cupuaçu e açaí.

O Presidente da COOPEMA, Sr. Valter Perin, ressaltou a importância da construção da agroindústria: “Atualmente perdemos muita produção na lavoura ou na floresta por conta da sazonalidade e da falta de uma estrutura que permita o processamento e estocagem. Além disso, os preços em período de safra caem drasticamente, diminuindo e até eliminando a rentabilidade. Com o beneficiamento vamos imprimir muito mais qualidade ao produto e agregar valor, gerando maior renda e segurança de mercado para nossos cooperados.” De acordo com Perin, a indústria atenderá prioritariamente as 65 famílias associadas que estão estruturadas para fornecer produção que permita a utilização de mais de 70% da capacidade instalada da fábrica. Os Cooperados já possuem 20 mil pés de citrus em produção e a cooperativa fomentou junto com a CEPLAC (Comissão Executiva da Plano da Lavoura Cacaueira) o plantio de 560 hectares de cacau através do Sistema Agroflorestal (SAF), que agrega açaí, goiaba, taperebá, café e andiroba. Todos os cooperados produzem melancia e a cooperativa em parceria com o IDAM, está fomentando o plantio de variedades híbridas para aumentar o tempo de safra. Um dos produtos principais a ser processado na indústria será o açaí, que é colhido de forma abundante na região, sendo Manicoré o maior produtor do estado. O projeto prevê que outras 800 famílias extrativistas também serão beneficiadas com a compra de excedentes de produção para que a cooperativa faça a utilização plena da capacidade instalada da indústria.

Mas os investimentos não param por aí. Com a força da união das famílias associadas, a COOPEMA  está finalizando a construção de uma balsa com capacidade para transportar 200 toneladas, que servirá para o escoamento da produção até Manaus. Isso possibilitará uma significativa redução de custos e aumentará a competitividade da cooperativa, pois com a otimização da logística a cooperativa poderá negociar e entregar a produção diretamente a supermercados, cozinhas industriais e restaurantes, eliminando atravessadores no transporte e na distribuição. “Nosso foco é oferecer produto de qualidade com entrega garantida para nossos clientes. Não adianta termos uma indústria moderna se não tivermos uma estratégia de distribuição e logística adequada” ressalta o presidente Valter Perin.

A previsão é de que em janeiro de 2017 será realizada a inauguração da Unidade.

Adriano Fassini – SESCOOP/AM.